terça-feira, 20 de abril de 2010

Em busca da felicidade

Sem querer começar o blog com obviedades, mas começando, o ser humano é um bicho estranho. Se você pensar em algo que todos querem, é essa tal de "felicidade". Mas sabemos definir o que é felicidade? Não. Quer dizer, a gente escolhe umas palavras para explicá-la, mas não conseguimos defini-la como fazemos, sei lá, com uma cadeira (aliás, não me peça para definir uma cadeira). Bom, ontem eu estava conversando com uma amiga, quando ela me perguntou como eu faço para me considerar uma pessoa feliz (eu me considero).
Eu não soube o que responder. Mas é claro que a Alice (ela se chama Alice) não se contentou com isso e ficamos discutindo a respeito.

Ela me disse que está sempre querendo algo que não tem. Mas, até aí, eu também. Se estou louca para arranjar um namorado incrível e arranjo, lá vou eu ficar louca para fazer uma viagem. Se viajo, lá vou eu querer, digamos, fazer um curso de Latim. Isso quando não quero namorado, viagem e curso ao mesmo tempo.

Sempre tem algo que falta a nós duas. Mas lembrando, caso você não tenha prestado atenção no primeiro parágrafo: eu me acho feliz, e ela, não. Por quê?

Como todo mundo, nós passamos por problemas. Aliás, indo um pouco além: muita gente tem mais problemas do que nós duas, e muito mais “sérios” (se é que podemos medir assim) e, adivinha... se acha feliz. Bom, mas já que não entrevistei 1,5 mil pessoas, voltamos a nós duas: mesmo nas minhas piores fases, eu me considero feliz. Claro, fico com o nariz escorrendo quando choro, mas sei que a tristeza vai passar, mesmo que a circunstância permaneça (tipo o fim de um namoro). Já ela, nos momentos ruins, sente que tem a prova de que é infeliz. E, se bobear, fica remoendo aquilo por anos. Por quê?


Bem, como você deve ter imaginado, não chegamos a nenhuma conclusão genial. Senão, estaríamos ocupadas escrevendo o livro “Descobrimos o que é felicidade, descubra você também!”. Se bem que há um monte de livros assim. Enfim, o que sabemos é que eu me acho feliz e ela não – e com base nisso, podemos levantar mil hipóteses. A primeira é que ela é uma boba e eu sou o máximo. Ok, hipótese descartada. Ou, então, eu sou menos exigente em relação à felicidade, ou nasci assim e ela assado – essa é a hipótese mais chata, porque não estaria ao nosso alcance ser de outro jeito. Bom: a que mais nos satisfez foi que eu me acho feliz porque tenho a sensação de que estou fazendo o possível para conseguir o que quero (embora o que quero viva mudando). E que essa corrida sem fim – ou com vários fins, à medida que alcançamos os objetivos – é muito divertida. Ela, às vezes, reclama e não faz nada. Claro, não podemos mudar coisas como “a partir de hoje, não choverá aos sábados”. Mas não mudar o que está ao nosso alcance é pedir para qualquer um ficar mal-humorado. Sei lá o que é felicidade, mas mau humor não combina com ela né?

31 comentários:

  1. A felicidade é o caminho...

    ResponderExcluir
  2. Não tem explicação.

    ResponderExcluir
  3. Anna, cada um constrói a própria felicidade. A vida sem problemas seria chatérrima e as pessoas se suicidariam mais... Ótimo texto, você escreve muito bem e com sabedoria. Boa sorte, Alice, encontre sua felicidade num pedaço de torta!

    ResponderExcluir
  4. A felicidade está dentro de cada um de nós, basta você descobrir o que a liberta.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o que tu escreveu...

    ResponderExcluir
  6. Ameeeei anna! eu me encaixo bem com essa alice :s fazer oq neh? =/ by luh

    ResponderExcluir
  7. ô anna amei teu blog! mto mto legaaal :D

    ResponderExcluir
  8. Espero que esse blog renda dessa vez, você já fez uns 20 mil e nenhum você continuou, gosto muito do seu jeito de escrever, portanto continue com esse que serei um leitor assíduo.

    ResponderExcluir
  9. gostei do jeito que vc escreve. :*

    ResponderExcluir
  10. continua ta anna? eu gosto mto do q vc escreve =]

    ResponderExcluir
  11. a ate a alice foi citada aqui poxa adhuehsuhduh quero ser citado tbmmm :D
    curti o texto! continue assim... =*

    ResponderExcluir
  12. bem a cara de vc e da lice ficarem filosofando essas coisas! kkk
    gostei mto prima, nao abandona nao ta?
    ;*

    ResponderExcluir
  13. Gostei aninha :) principalmente o nome, criativo! não desiste desse blog não viu? vc tem ciatividade, use! :***

    ResponderExcluir
  14. eu sou igual a tal da alice... gostei do conselho sobre tentar mudar o que esta ao nosso alcance! todos deveriam tentar =D

    ResponderExcluir
  15. o mat teu me mandou teu blog e nossa... eu adorei! gostei muito mesmo, continue, vou ler smp :)

    ResponderExcluir
  16. primaaa, ameeeei oq tu escreveu, q orgulho, temos uma escritora na familia! hsuahuhaush

    ResponderExcluir
  17. a felicidade está nas pequenas coisas... ♪
    bem legal oq tu escreveu ana ;*

    ResponderExcluir
  18. nao consigo escrever nem metade ahuauhahu nao nasci pra escrever =(
    foda!

    ResponderExcluir
  19. não nasci pra escrever +1 continua o blog viu anna *----*

    ResponderExcluir
  20. ain anna q legal! ;D gostei demais

    ResponderExcluir
  21. texto legal, facil de entender! bem bolado! =]

    ResponderExcluir
  22. ta vendo anna? eh so não abandonar! vc escreve mto bem! e os assuntos das suas cronicas são criativos! não abandona esse ta? +851457
    ashaushaushhaashuash

    ResponderExcluir
  23. eu vo acompanhar viu? gostei bastaante!

    ResponderExcluir
  24. q daora =] assunto bem abordado

    ResponderExcluir
  25. annaaaa me ensina a escrever assim ahuauhahua so me ferro nas redações =( mto bom!

    ResponderExcluir
  26. Gostei muito muito do seu blog... Eu costumava ser como a Alice, mas de uns tempos pra cá passei a encarar a vida como você. O que é felicidade? Eu estava conversando com o meu irmão sobre isso esses dias, e cheguei numa conclusão... Mas você vai saber se um dia eu vier a postar sobre isso no meu blog, haha. Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Adorei Anna,

    vc escreve mto bem ;)
    parabens

    a proposito, valeu a dica pra que procure a felicidade internamente e no que é possivel.

    obrgada =**

    ResponderExcluir