quinta-feira, 22 de abril de 2010

Fins e começos

Não sei você, mas eu adoro o começo das coisas. De namoro, de amizade, de um livro, de um chocolate, de um curso legal. Que delícia aquele frio na barriga, no caso do namoro, ou do sabor do primeiro quadradinho, no caso do chocolate! Já os fins não costumam ser tão dinâmicos. O chocolate acabou, o livro incrível chegou ao fim e, pior ainda, a amizade e o namoro também. E aí a gente pode se sentir meio sem rumo. O que vamos fazer quando o período que passamos acabar? E quando o curso acabar? E o que faço quando envelhecer e perder minha beleza? E quando meu gato morrer? Aaaah!

Realmente, os fins estão aí, não há como negar (quer dizer, a gente pode negar, mas eles estão aí!). E, às vezes, são difíceis. Fim de namoro, por exemplo. No fundo, a gente sabe quando está deixando de gostar de alguém. Ou quando alguém está parando de gostar da gente. Mesmo assim, nem sempre deixamos aquela história ir embora. Eu já tive um namoro que estava louca pra terminar, mas, ao mesmo tempo, não aceitava isso. Preferi insistir por mais alguns meses, num negócio que eu já sabia que tinha acabado, só por causa dessa coisa que a gente teme... o fim. Além do medo do que vinha pela frente, eu não me conformava com o fato de um sentimento tão forte (era forte, ok?) ter ido embora.

Tipo, por que ele estava fazendo isso? Quem ele pensava que era? Argh.
Fim de amizade também é complexo. Por um lado, você não tem que marcar uma conversa para terminar. Mas, por outro... é triste perceber que não sente mais falta daquela amiga quando está longe ou que aquela garota que era tão querida e admirada por você agora te irrita. Claro, sempre pode ser só uma fase, mas às vezes não é. Tem amizades que a gente pensava que fossem durar pra sempre, mas vão esfriando cada vez mais. Aí a gente dá um jeito, vai se distanciando aos poucos, torcendo pra que tudo um dia volte a ser como era antes, mas não volta. Porque, mesmo que você e sua amiga se reaproximem, não vão ser como antes: nada é como antes!

Bom: como você já deve ter percebido, a gente muda muito a longo dos anos. Além do nosso cabelo e das roupas, mudam nossos sentimentos, nosso jeito de ver as coisas, nossa experiência.
As circunstâncias e as pessoas ao nosso redor se alteram também. Como diria minha avó, até uva passa! Ai, péssima né?
Mas continuando. Sem querer ser autoritária nem nada, é assim que as coisas são, independentemente da nossa vontade: elas acabam, começam. Se não aceitarmos isso, vamos prolongar o sofrimento por situações e pessoas que não fazem mais sentido pra gente. E, pior, podemos fechar os olhos para o novo, que, afinal também faz parte da vida e é tão bom: um novo começo! Sem querer pagar de uma onda no mar, umas coisas vêm e outras vão e, se a gente não precisa pular de alegria quando vão, também não precisa espernear. Bem, talvez seja legal espernear, mas só um pouco. Afinal, espernear um pouquinho também faz parte da vida.



P.S. Dica de hoje http://luiza26.blogspot.com/

30 comentários:

  1. Eu queria escrever assim, algo extremamente verdadeiro. Gostei muito.

    ResponderExcluir
  2. Eu queria escrever assim, algo extremamente verdadeiro. Gostei muito. [2]

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei muito, tu escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  4. Anna, parabéns! Você escreve muito bem, adoro seus textos. Continue assim. :}

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito Anna, seu blog é perfeito. Com os posts que eu acho que as pessoas gostam de ler, quem dera eu escrever como você! Parabéns

    ResponderExcluir
  6. Amei esse post, denovo! Perfeito! E vou olhar o blog indicado. :}

    ResponderExcluir
  7. Haha, isso é fato. Ótimo texto, concordo com você. Continua assim. RS

    ResponderExcluir
  8. Me identifiquei bastante com o texto, parabéns pelo seu blog, continue como está, pois está maravilhoso!

    ResponderExcluir
  9. O bom é que podemos ser mais tudo que já fomos, podemos, e devemos, sem nos importarmos com os comentários alheios. É esquecer o "de novo" e ir para o novo! fikdik :/ 2

    tinha comentado isso no post anterior, mas acho que agora serve bem pra esse.

    Parabéns pelo blog s2

    ResponderExcluir
  10. Parabéns por mais um texto, continue assim :}

    ResponderExcluir
  11. muuuito legal, me identifiquei :D

    ResponderExcluir
  12. É, Anna, a gente tem que praticar o desapego... Aprender a lidar com começos (por que tudo que é novo é legal?) e com fins faz parte da vida. Muito bom ler seus textos, continue e seja feliz!

    ResponderExcluir
  13. todos temos que aprender a lidar com fins!

    ResponderExcluir
  14. a cada dia me apaixono mais pelo blog!

    ResponderExcluir
  15. Texto muito bom. x) continue assim anna! =*

    ResponderExcluir
  16. me identifiquei 100% com esse post! O:

    ResponderExcluir
  17. é verdade que começos nem sempre são fáceis, mas fins são piores ainda! :(

    ResponderExcluir
  18. Tô precisando de um novo começo... vida velha! Rotina, um saco. Sempre a mesma coisa! Preciso de começos novos! (:

    ResponderExcluir
  19. TEXTO FODAAAAAAAAAAA *-* vc escreve mto!

    ResponderExcluir
  20. ae, aleluia consegui entrar pra ler teu blog *-* ta nos favoritos aqui, eu amo o que vc escreve! me identifico mto!

    ResponderExcluir
  21. mais um texto ótimo! parabéns ^^

    ResponderExcluir
  22. to tão orgulhosa prima! vc tá escrevendo super bem, a cada texto vc melhora mais! continue assim!

    ResponderExcluir
  23. hj to sem criatividade pra comentar, mas saiba que eu adorei seu texto, como sempre né! *-*

    ResponderExcluir
  24. vc é mto talentosa, atualize smp seu blog, mt sucesso pra vc ;*

    ResponderExcluir
  25. a verdade é q tdos tem medo do fim também... oq faz ser medonho quando acontece! ):
    e com novos começos... é só empolgação!

    ResponderExcluir
  26. concordo com vc viu, acho que quando não queremos aceitar o fim prologamos ainda mais o sofrimento, mais é que as vezes é tão dificil de aceitar. TIPO a gente acha que se chorar,gritar se debater vai ajudar, mais isso é uma maneira de nós mesmo percebermos que quando o fim chega não tem pra ninguém.
    adorei a sua postagem...

    ResponderExcluir